Dê ouvidos à Palavra de Deus!
Ouça e pratique essa Palavra! Tolo é quem não o faz!
Ouça a Palavra de Deus, creia na Palavra e guarde-a em seu coração.
Esteja enraizado nela, e a coroa da vitória lhe está garantida!,
“Permaneça em vós o que ouvistes desde o princípio. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também permanecereis vós no Filho e no Pai” (1 Jo 2.24).



Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa sim será louvada. Provérvios 31:30

Web Radio Gospel Da Covilha - ((( Portugal))) Sua Amiga De Todos As Horas

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Mateus 18:5



Como é que crianças se aproximam de nós adultos? Às vezes com
muito cuidado porque não sabem como serão recebidas. Sabem que
muitas vezes não temos tempo ou paciência para com elas. Por quê?
Elas aprendem cedo que é porque não são “grandes” o suficiente. Às
vezes nem nos procuram mais por causa da maneira como as recebemos.
Se estivéssemos recebendo o próprio Jesus, a nossa atitude seria
diferente, não é? E se fosse diferente, seria porque realmente O
amamos, ou porque tememos a grandeza dEle? É por amor a sua pessoa,
ou por medo do seu poder? Precisamos aprender que no Reino dos
céus, o tratamento dado ao menor equivale ao que é dado ao maior
(Mt 25:35-36). Um dia todos nós veremos o Rei. Naquele dia, muitos
descobrirão que já o viram antes, mas não o reconheceram e nem o
receberam. Será que você O verá hoje? Como pretende recebê-Lo?


ORAÇÃO:

Pai amado, seu Filho é tão diferente dos reis deste mundo.
Graças lhe dou porque Ele me trata como eu sempre quis ser tratado,
desde criança. Eu quero receber seus outros filhos com o mesmo amor
sincero que Jesus tem para comigo. Ajude-me. Em nome do Rei eu oro.
Amém.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Tome Posse Da Bênção


 Eis aqui o SENHOR teu Deus tem posto esta terra diante de ti; sobe, toma posse dela, como te falou o SENHOR Deus de teus pais; não temas, e não te assustes. Deuteronômio 1:21 

No livro de Deuteronômio, Moisés relembra os quarenta anos no deserto, após a saída do Egito. O povo israelita estava contemplando a terra que o Senhor lhe prometera. Moisés explicita as condições divinas para a apropriação da bênção: “Portanto, vão e tomem posse desta terra que está diante de vocês, como o Senhor, o Deus dos nossos antepassados, mandou.” (Deuteronômio 1:21).

Não foi por acaso que Moisés declarou: “como o Senhor...mandou”. Diante de tarefa tão gigantesca, o grande líder não propôs grupos de discussão. Em, tampouco, um amplo referendo popular. O Senhor bíblico não é líder democrático. O Senhor é Jeová, “aquele que é”. O Senhor absoluto. De amor absoluto. De absoluta justiça. E é nestas condições de soberania que Ele toma a iniciativa de nos ajudar.

Quando estudamos a Bíblia, encontramos muito de nós mesmos nos seus personagens. Porque nós também temos a tendência de negociar, diante das condições determinadas pelo Senhor. Ele nos quer cem por cento, mas nós insistimos em pagar apenas metade do preço. Ele só não nos aniquila, desde o princípio, porque “Ele se lembra de que nós somos pó”. Só que o pó, quando entregue completamente nas mãos do Senhor, vira bênção. E bênção de qualidade superior. Então, tomemos posse da bênção. Tentando fazer “como o Senhor mandou”.

No livro de Deuteronômio, Moisés relembra os quarenta anos no deserto, após a saída do Egito. O povo israelita estava contemplando a terra que o Senhor lhe prometera. Moisés explicita as condições divinas para a apropriação da bênção: “Portanto, vão e tomem posse desta terra que está diante de vocês, como o Senhor, o Deus dos nossos antepassados, mandou.” (Deuteronômio 1:21).
Não foi por acaso que Moisés declarou: “como o Senhor...mandou”. Diante de tarefa tão gigantesca, o grande líder não propôs grupos de discussão. Em, tampouco, um amplo referendo popular. O Senhor bíblico não é líder democrático. O Senhor é Jeová, “aquele que é”. O Senhor absoluto. De amor absoluto. De absoluta justiça. E é nestas condições de soberania que Ele toma a iniciativa de nos ajudar.
Quando estudamos a Bíblia, encontramos muito de nós mesmos nos seus personagens. Porque nós também temos a tendência de negociar, diante das condições determinadas pelo Senhor. Ele nos quer cem por cento, mas nós insistimos em pagar apenas metade do preço. Ele só não nos aniquila, desde o princípio, porque “Ele se lembra de que nós somos pó”. Só que o pó, quando entregue completamente nas mãos do Senhor, vira bênção. E bênção de qualidade superior. Então, tomemos posse da bênção. Tentando fazer “como o Senhor mandou”.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Estarei convosco todos os dias

 Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.   Mateus 28:20

Antes de subir aos céus, após Sua ressurreição, Jesus fez questão de dar uma garantia aos discípulos: Sua ausência física não implicaria ausência espiritual. “E Eu estarei convosco todos os dias, até o fim dos tempos. “ (Mateus 28:20).

O provérbio popular declara:”longe dos olhos, longe do coração”. Falta de comunhão gera falta de intimidade. E falta de intimidade gera o aumento da separação. Cristãos que negligenciam o cultivo diário da união com Cristo passam a depender de práticas religiosas meramente humanas. Com o tempo, mesmo frequentando as igrejas, o sentimento da falta de Cristo vai aumentando e oprimindo.

O Senhor providenciou dois exercícios espirituais essenciais: meditação bíblica e oração. É através da prática da oração e da vivência da Bíblia que a companhia de Jesus é experimentada em nossa vida diária. Tem sido assim e sempre será assim. A companhia do Cristo está garantida, desde a eternidade. O beneficiar-se desta intimidade não é um processo automático- ele depende de nossa aceitação pessoal. O Senhor está conosco “ todos os dias “. Vale a pena, todos os dias, vivenciar as disciplinas da Sua presença.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Dia e Noite



“Não se aparte da tua boca o livro desta Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque, então, farás prosperar o teu caminho e, então, prudentemente te conduzirás.” Josué 1:8.
 

Como nosso espírito pode ser educado e treinado? Como nosso espírito pode ser edificado na fortaleza? Há quatro passos que devemos seguir: Meditar na Palavra, Praticar a Palavra, Dar primazia à Palavra e Obedecer ao nosso espírito.
 

Aquilo que Deus disse a Josué é válido para todos. Se Deus não quisesse que Josué fosse próspero, por que o teria ensinado a prosperar? Se Deus não quisesse que Josué fosse bem-sucedido, por que o teria ensinado a ter sucesso? Na verdade, Deus queria que Josué fosse próspero e bem-sucedido. Ele também deseja que você seja próspero e bem-sucedido!

Deus nos tem dado as instruções que estão no texto de hoje. Parafraseando a verdade contida nesse texto, usando a linguagem do Novo Testamento, Deus diria simplesmente: “A Palavra de Deus (especialmente a Nova Aliança ou o Novo Testamento) não se apartará da tua boca; antes deves meditar nEla dia e noite, porque, então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido na vida”.
 
 
 
 
 

“Antes, tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite. Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto na estação própria, e cujas folhas não caem, e tudo quanto fizer prosperará.” Salmos 1:2-3.

Se você quiser fazer algo grandioso ou desejar ser alguém nesta vida, dedique tempo para meditar na Palavra de Deus. Comece com dez ou 15 minutos por dia, pelo menos, e vá aumentando.

Durante muitos anos, eu realizava dois cultos por dia no ministério itinerante. Nos primeiros anos do ministério no campo, eu ensinava pela manhã; orava em voz audível durante a tarde inteira; pregava e ministrava à noite. Por fazer uma única refeição por dia, durante minhas reuniões de avivamento, eu ficava fraco, pois gastava muita energia.

Então, o Senhor me falou: “Não gaste tanto tempo orando em voz alta e cansando-se para o culto da noite. Fique deitado na cama, meditando”. Quando comecei a fazer isso, o meu crescimento espiritual foi maior do que em qualquer período anterior.

Isso foi o que Deus prometera: “Então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido.” Eu desejava prosperar e ter sucesso no meu ministério. Mas esse princípio funciona, quer você esteja no ministério, quer criando gado, quer vendendo automóveis!

Extraído e adaptado do Livro: Alimento da Fé

Autor: Kenneth E. Hagin

Para Meditar: "O que atenta prudentemente para a palavra prosperará; e feliz é aquele que confia no Senhor." Proverbios 16:20.

Oração:Senhor, ajuda-me a meditar dia e noite na Tua Palavra, que eu possa falar dela constantemente e a Tua promessa se cumpra em minha vida, fazendo prosperar o meu caminho e eu seja bem-sucedido na vida.” Amém.

sábado, 22 de setembro de 2012

Mateus 12:22-26

Depois disso, levaram-lhe um endemoninhado que era cego e mudo,
e Jesus o curou, de modo que ele pôde falar e ver. Todo o povo
ficou atônito e disse: “Não será este o Filho de Davi?” Mas quando
os fariseus ouviram isso, disseram: “É somente por Belzebu, o
príncipe dos demônios, que ele expulsa demônios”. Jesus, conhecendo
os seus pensamentos, disse-lhes: “Todo reino dividido contra si
mesmo será arruinado, e toda cidade ou casa dividida contra si
mesma não subsistirá. Se Satanás expulsa Satanás, está dividido
contra si mesmo. Como, então, subsistirá seu reino”?

PENSAMENTO:

   Os fariseus reagiram quando o povo começou a elogiar Jesus. A
preocupação deles não era com as necessidades do povo, mas em
preservar sua posição e poder. Contra a acusação de que Jesus
estava curando pelo poder do diabo (Belzebu), Jesus deu o primeiro
de três argumentos para desmascarar a falsidade dos líderes
religiosos. A lógica é simples – Satanás quer nos destruir. A
doença é uma arma dele. Para que Satanás curaria uma doença? Ele
estaria lutando contra si mesmo. É pura contradição argumentar que
Jesus “cura” pelo poder daquele que é responsável pela doença. É um
contra-senso óbvio. É difícil compreender como alguém poderia
raciocinar assim. No entanto, ainda hoje há pessoas que não só
pensam, mas agem dessa forma. Para “proteger” a igreja, elas atacam
outros irmãos, fazem acusações infundadas, ou disseminam rumores.
Se você se preocupa com um irmão de quem você desconfia, converse
primeiro com ele para ver se sua preocupação procede. Depois, se
necessário, envolva outros irmãos maduros e experientes. Ore sempre
para que Deus lhe dê discernimento e sabedoria em como proceder. E
esteja sempre preparado para a possibilidade daquele irmão estar
servindo o Senhor. Se atacamos irmãos e atrapalhamos seu
ministério, quem pode estar trabalhando para Satanás somos nós. Que
Deus nos oriente e nos ilumine para que, em tudo estejamos
contribuindo para a edificação do verdadeiro Reino e servindo
somente a Jesus.

ORAÇÃO:


   Pai todo poderoso, proteja-nos contra os desejos e cobiças que
militam dentro de nós. Ajude-nos a enxergar o que realmente
importa, e a única coisa que levará a igreja do Senhor adiante –
levantar Jesus e permitir que as pessoas O vejam em nós e em outros
ao nosso redor. Em nome e por amor a Jesus, nós oramos e
agradecemos. Amém.
 

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

VOLTE A SONHAR



  “Certa vez, José teve um sonho e, quando o contou a seus irmãos, eles passaram a odiá-lo ainda mais”. Gênesis 37:5 NVI


A primeira coisa que aprendo nesse texto é que se você sonha ou não, certamente já existem aqueles que não gostam de você, que falam mal, e até os que te odeiam. Esse era o caso dos irmãos de José, que de acordo com o texto que lemos já o odiavam. E quando perceberam que José tinha sonhos, passaram a odiá-lo ainda mais, ao ponto de desejarem a sua morte, jogarem num poço e finalmente venderem a uma caravana de Ismaelita, diga-se de passagem, descendentes do filho da escrava. Logo meu amado, minha amada, se por acaso você já foi um sonhador, ou uma sonhadora, e porque zombavam ou escarneciam dos teus sonhos você os abandonou, por conseguinte anulando-os da sua mente e do seu coração, enfim da sua vida, volte a sonhar. E é possível que até hoje, você ainda viva como se não mais houvesse necessidade de sonhar. Saiba que o Deus todo poderoso deu sonhos a José e também providenciou para que a despeito das circunstâncias totalmente adversas, aquele jovem pudesse ver o cumprimento literal de todos os seus mais complexos sonhos.
 
 Deus te convida nesse momento para que voltes a sonhar. É tempo de retomar todos os teus sonhos de onde os abandonara. Creia que o mesmo Deus que tratou com José, hoje também cuida de você, da tua vida, de todos os teus planos, metas e sonhos, e empenha sua palavra para que te suceda assim como na vida de José, que num dia acordou pela manhã cedo na prisão ainda como escravo, e ao se deitar a noite o fez nos aposentos reais como principal entre os mais nobres, com o maior título no reino de Faraó, pois foi transferido do dia para noite de escravo para; o  primeiro homem após Faraó.

 Talvez você por conta da criação que teve, onde não viu seus pais sonharem ou vislumbrarem uma vida melhor, crendo no que Deus poderia lhes proporcionar, você não tenha tido referencias saudáveis de sonhos, ou de sonhadores, e por essa razão você não sonha. Deus nos diz nessa hora que nunca é tarde para recomeçar uma vida repleta dos sonhos de Deus, e, que também nunca será tarde demais para começar a sonhar e viver tantos quantos forem os sonhos do Eterno para tua vida em toas as principais áreas.

 ORE COMIGO: Meu Deus e meu Senhor, Pai de misericórdia, dá-me condições de sonhar ou se for o caso até de retomar os sonhos deixados para trás, pois assim como José, eu quero ser um conquistador ou uma conquistadora na minha geração, de maneira que eu possa ser o instrumento de prosperidade, crescimento e estabilidade de toda a minha família em todos os níveis e aspectos, como o foi José. Essa é a minha oração em fé, em o nome do Senhor Jesus. Amém!

 Pr. Almir Evangelista

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Mateus 12:1-4

Naquela ocasião Jesus passou pelas lavouras de cereal no sábado.
Seus discípulos estavam com fome e começaram a colher espigas para
comê-las. Os fariseus, vendo aquilo, lhe disseram: “Olha, os teus
discípulos estão fazendo o que não é permitido no sábado”. Ele
respondeu: “Vocês não leram o que fez Davi quando ele e seus
companheiros estavam com fome? Ele entrou na casa de Deus e, junto
com os seus companheiros, comeu os pães da Presença, o que não lhes
era permitido fazer, mas apenas aos sacerdotes."
 
PENSAMENTO:

 Aqui nós vemos a diferença entre o jugo de Jesus (11:29) e o dos
homens. Os dez mandamentos proibiram o trabalho no sábado.
Especificamente, a palavra de Deus apenas vetava acender fogo e
apanhar lenha (Êx 35:3; Num 15:32-36). Porém, os intérpretes da lei
elaboraram vinte e quatro capítulos de atividades que seriam
proibidas com listas de detalhes e pormenores. Na verdade, nada que
eles proibiram foi estipulado na Escritura. Era apenas uma
interpretação humana como muitas proibições e "mandamentos"
impostos em Cristãos de hoje. A comparação que Jesus fez entre Davi
e seus companheiros (1 Samuel 21) e Jesus e seus homens era muito
apta. Da mesma forma que Davi era rejeitado como rei de Israel,
Jesus também foi, junto com seus homens. E como naquela época houve
circunstâncias que atenuaram as limitações da lei, o mesmo
aconteceu nos dias de Jesus. A pergunta de Jesus em resposta à
acusação é decisiva – “Vocês não leram …”? O problema é que leram,
mas, não enxergaram a Palavra de Deus, apenas as suas
interpretações. É tão fácil confundir nossos conceitos com a
própria Escritura. Foi por isso que Jesus disse que precisamos
tomar o jugo dele, e aprender dele. Quando você lê a Palavra de
Deus, você consegue escutar a voz de Jesus falando? É isso que nós
precisamos. Se você se sente confuso, ou só consegue ouvir o que
homens têm falado, peça a Jesus, que ele lhe ajudará a ouvir a sua
voz.



ORAÇÃO:


 Pai Santo e todo poderoso, é o Senhor que manda e ordena. Dai a
todos nós ouvidos para ouvir a voz do Senhor acima da nossa,
guardar as palavras do Senhor e não apenas as nossas interpretações
delas. Que a vontade feita em nossas vidas seja sempre a do Senhor.
Em nome de Jesus oramos. Amém.
 

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Mateus 11:23-24



(Leia aqui)


Falar do juízo e de condenação eterna não é “politicamente correto”. Na era pós-moderna, com seu relativismo religioso e todo cuidado que há para não ofender ninguém, está fora de moda falar da perda da salvação. É uma ofensa dar a entender que só alguns serão salvos. Quem somos nós para pensarmos que Jesus é o único caminho? Jesus não via as coisas assim. Ele chamou não somente indivíduos, mas, cidades inteiras ao arrependimento. Ele declarou abertamente que certos povos estavam prestes a perder as suas almas, se não voltassem para Deus. Charles Spurgeon tocou num dos perigos da era moderna: “Homens estão se perdendo, e se for incômodo avisá-los, só pode ser porque é o diabo que está ditando a moda”. Se o inimigo não consegue nos persuadir que o inferno não existe, ele fará de tudo para nos convencer de que ninguém será mandado para lá. Às vezes parece que é isso que ele está conseguindo. O centro da mensagem do Evangelho é o amor de Deus por nós pecadores. Mas, uma parte necessária é a conseqüência do pecado se não houver arrependimento e perdão. Foi para nos salvar deste fim que Jesus veio. Ao depararmos com pessoas que rejeitam Jesus como Senhor e Salvador, é nossa obrigação avisá-las daquilo que as espera no porvir. Não foi isso que Jesus disse? Se você conhecer alguém nesta situação, e a pessoa ainda estiver aberta para ouvir, fale com amor e carinho, mas, siga o exemplo de Jesus. ORAÇÃO: Pai Santo, dê-nos corações abertos para a Palavra e para a voz do Espírito falando conosco. Ajude-nos a sermos sensíveis para o chamado ao arrependimento que ouvimos ao abrirmos a Bíblia ou ao vermos os milagres que o Senhor realiza ao nosso redor. Que possamos ouvir e obedecer sempre a Jesus. E que possamos persuadir outros a fazerem o mesmo, para que a salvação que lhe custou tão caro não tenha sido comprada para elas em vão. Em nome do Salvador, oramos. Amém.

domingo, 5 de agosto de 2012

Mateus 10:12-13


(Leia aqui)

“Ao entrarem na casa, saúdem-na. Se a casa for digna, que a paz
de vocês repouse sobre ela; se não for, que a paz retorne para
vocês.”


PENSAMENTO:

“A paz do Senhor”! Quantas vezes ouvimos esta saudação? Podemos
até esquecer que é mais que um cumprimento. Na misteriosa realidade
do Reino dos céus, a paz do Senhor Jesus é algo real que o Cristão tem um
papel fundamental em disseminar. É algo que, por seu intermédio,
Deus dá ou retira. Fruto da recepção do Evangelho, a paz do Senhor Jesus
é o fim da inimizade entre Deus e o homem. Quando aceita, ela traz
bênção e perdão. Se rejeitada, ela trará um dia juízo e condenação.
A paz do Senhor Jesus não é apenas uma questão de aceitação mútua ou
educação religiosa. Ela é uma realidade do plano espiritual com
conseqüências eternas. É por isso que ela não fica onde não é bem
vinda. Às vezes, quando nossas tentativas de compartilhar as boas
novas não são bem recebidas, ficamos ressentidos, como se as
pessoas estivessem nos rejeitando. A realidade é muito mais grave.
Ela está rejeitando o único e supremo Salvador. Ela está fechando a
única porta pela qual ela poderia entrar na vida eterna. Ore
bastante quando for compartilhar o Evangelho. Peça a Deus para que
Ele prepare a pessoa para valorizar o que Ele, por meio de você,
está oferecendo. E faça tudo dentro do seu alcance para que ela
aceite a paz que Cristo oferece.
Que Deus permita que, quando você for embora, uma coisa permaneça
 em cada lugar que você esteve: A paz do Senhor Jesus.

ORAÇÃO:

   Pai, faça de mim uma pacificadora, não só entre homens, mas entre
o Senhor e seus filhos afastados. Dê-me a perseverança que preciso
para continuar compartilhando esta paz da qual Jesus me constituiu
canal. Obrigado por tamanha honra que me concedeu. Em nome do
Senhor Jesus eu oro. Amém.

sábado, 4 de agosto de 2012

Mateus 10:11


(Leia aqui)

“Na cidade ou povoado em que entrarem, procurem alguém digno de
recebê-los, e fiquem em sua casa até partirem.

PENSAMENTO:

   O alvo dos discípulos não era nem conforto, nem comida em
fartura. Eles deveriam procurar pessoas dignas, ou seja, pessoas
receptivas ao Evangelho. Embora todos mereçam a chance de ouvir as
Boas Novas, Deus já nos avisou que apenas uma minoria vai receber e
responder. É com estas pessoas que o discípulo deve procurar se
associar. Isso nada tem a ver com nível social ou aparência
religiosa. São as pessoas receptivas a Jesus e a seus servos. Às
vezes, as pessoas menos receptivas ao Evangelho são aquelas que têm
um “pedaço” para proteger. Foi assim com os líderes religiosos dos
dias de Jesus, que rejeitaram a pregação do Evangelho. Há uma
mensagem muito importante para o obreiro de hoje. Na grande seara,
o discípulo precisa sempre de pessoas que irão apoiar e cooperar na
obra. Não é para se afastar dos perdidos ou descrentes. É para
poder melhor ajudá-los. O alvo não é a melhor “situação”, e sim a
melhor associação – com as pessoas que realmente estão procurando o
Senhor. Certas pessoas merecem uma maior atenção justamente pela
atenção que elas dão a Jesus e sua mensagem. Se você está servindo
a Jesus, peça para ele lhe mostrar tais pessoas no seu trabalho, na
sua comunidade ou onde quer que ele lhe tenha indicado para semear.
Jesus lhe mostrará quem são.

ORAÇÃO:
   Pai bondoso, agradeço ao Senhor porque, desde que entrei no seu
Reino, nunca me faltou nada. O Senhor tem sempre providenciado tudo
que eu preciso, e isso através de pessoas dignas do Evangelho. Peço
que o Senhor continue fazendo o mesmo para meus irmãos que deixam
casa, família ou qualquer outra coisa preciosa por amor ao Senhor.
Abençoe-os, Pai. Em nome do Rei eu oro. Amém

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Mateus 10:8


(Leia aqui)

“Curem os enfermos, ressuscitem os mortos, purifiquem os
leprosos, expulsem os demônios. Vocês receberam de graça; dêem
também de graça.”
Mateus 10:8


PENSAMENTO:

   Jesus chamou todos, ricos e pobres, poderosos e indefesos. Porém
ele tinha uma preocupação especial para com os doentes e
marginalizados. Eram estas pessoas que Jesus mais queria convencer
de que o Reino dos céus havia chegado e de que Deus tinha lugar
para elas. Jesus ainda busca e chama o mesmo povo hoje. É um
privilégio nosso levar esta mesma mensagem para o povo que Deus
ainda quer – os pobres em espírito e quebrantados, os doentes e
desprezados. Os enfermos para os quais Jesus enviou os discípulos
não eram os membros da ‘igreja’. A igreja nem existia. Jesus enviou
os discípulos para pessoas fora do Reino que ele queria que
entrassem. Será que tem alguém perto de você ou dentro do seu
alcance, que precisa saber o quanto Deus o quer? Pode ser um
vizinho ou parente, pode ser um morador de rua pelo qual você passa
todos os dias. Pode ser alguém que você só verá hoje e talvez mais
nunca, até o glorioso dia quando o verá de novo no Reino dos céus.
Não deixe passar a oportunidade que Deus lhe dá hoje para fazer uma
diferença eterna amanhã. Peça a Deus e ele lhe guiará no que dizer
e no que fazer. Não foi ele que colocou você e aquela pessoa no
mesmo caminho?

ORAÇÃO:

   Pai bondoso, tenho recebido tantas bênçãos do Senhor. Não tenho
como merecer e muito menos como pagar. Ajude-me a sempre
compartilhar livremente da multiforme graça que o Senhor derramou
em minha vida. Agradeço-lhe pelo privilégio de ser despenseiro do
Reino. Em nome do Rei Jesus. Amém.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

A Beleza de Jesus Cristo


Em Cantares 5.16 lemos: "...ele é totalmente desejável".

Isso não pode ser dito a respeito de nenhum outro a não ser de Jesus Cristo. Qualquer outra grandeza é corrompida por pequenez, qualquer outra sabedoria é arrasada por tolice, qualquer outra bondade vem maculada por imperfeição. Jesus Cristo é o único do qual se pode afirmar que nEle tudo é amável e belo.
Sua beleza reside em Sua perfeita humanidade. Ele se identificou conosco em tudo, exceto com nosso pecado e com nossa natureza má. Ele teve de crescer fisicamente – como nós – mas Ele também cresceu na graça. Ele trabalhou, chorou, orou e amou. Em todas as coisas Ele foi tentado como nós – mas permaneceu sem pecado.

Como Filho de Deus, Ele entra em nossa vida no século XX de maneira tão simples e natural como se tivesse morado em nossa rua. Ele é um dos nossos em tudo. Ele entra em uma vida cheia de pecado assim como um rio limpo e transparente lança suas águas em um lago parado. O rio não teme a contaminação, é ele que limpa o lago com sua força.

Cristo também possui perfeita compaixão. Pensemos apenas no "rebanho sem pastor" ou na viúva enlutada de Naim. Será que alguma vez você viu Jesus procurando pessoas que "mereciam" que Ele se compadecesse delas? Dele está escrito simplesmente que: "... compadeceu-se dela e curou os seus enfermos" (Mt 14.14b). Que glória reside em sua misericórdia! Naquela época significava contaminação a aproximação com os pobres leprosos, mas o contato com a mão de Jesus os curava e purificava.

A perfeita humildade de Jesus Cristo é extremamente amável. Ele, o único que poderia ter escolhido como desejava nascer, entrou nesta vida como um dentre muitos. Ele disse: "...no meio de vós, eu sou como quem serve" (Lc 22.27b), e está escrito que Ele "deitou água na bacia e passou a lavar os pés aos discípulos e a enxugar-lhos com a toalha com que estava cingido" (Jo 13.5). E também está escrito que Ele "quando ultrajado, não revidava com ultraje" (1 Pe 2.23).

Jesus Cristo também possui perfeita mansidão. Como Ele é meigo, mas também fiel, altruísta e devotado. Quando falou com a mulher calada, desesperada, depois que os seus acusadores foram se retirando um por um, toda a Sua amável mansidão se mostrou.

Até na hora da Sua morte, Ele ouviu o clamor de uma fé em desespero. Antigamente, quando os vencedores voltavam das guerras, traziam seus prisioneiros mais importantes como troféus de vitória. Para Jesus Cristo foi suficiente chegar ao céu trazendo a alma de um ladrão.
Finalmente, olhemos para Seu perfeito equilíbrio interior. Ainda poderíamos falar muito sobre Sua dignidade, sua varonilidade, sobre Sua coragem. Nele se unem traços de um caráter perfeito e formam um equilíbrio maravilhoso. Sua mansidão nunca é delicada demais, sua coragem jamais é bruta.

Ele não é totalmente desejável? Você quer aceitá-lO como Salvador pessoal e igualmente descobrir Sua glória? Ele próprio disse: "Em verdade, em verdade vos digo: quem crê em mim tem a vida eterna" (Jo 6.47).

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Mateus 8:23-27


(Leia aqui)


PENSAMENTO:

   Aquela tempestade deve ter sido aterrorizante. Mateus a
descreveu com uma palavra peculiar, a palavra grega "seismos", que
normalmente se usava para um terremoto. Mateus só usou esta palavra
em outras duas ocasiões na vida de Jesus, na hora da sua morte na
cruz (27:54) e na ressurreição (28:2). Doze homens que pessoalmente
viram Jesus curar leprosos, paralíticos e diversos outros doentes,
ainda ficaram apavorados pela fúria daquelas ondas. Como ficou a fé
deles? Ruiu! Jesus admoestou os discípulos pela sua falta de fé.
Mesmo assim, ele parou o vento e as ondas. Se alguém lhe disser que
Deus não lhe ajudou ou não lhe curou porque sua fé é pequena
demais, mande aquele pessoa voltar a escutar este relato de Mateus.
A tempestade que passa pela sua vida pode ter deixado um ente
querido na cadeia, na UTI ou até no cemitério. Pode cheirar de
álcool ou se chamar de divórcio ou câncer. Seja qual for, pode
parecer que engoliu a sua fé. Mas, se você tiver ao menos o
suficiente para chamar o nome de Jesus, ele escutará. O poder de
Jesus não é medido pelo tamanho da nossa fé, mas, pelo amor, sem
limites que ele tem por nós. O mesmo amor que o levou a salvar doze
homens apavorados em alto mar o levará a lhe socorrer, seja qual
for o tamanho do seu sofrimento, sua dor ou sua angústia. Chame
Jesus. Confie nEle. Quanta fé é necessário? Basta o suficiente para
chamar o nome dEle. Faça isso. Não há nenhuma tempestade que Jesus
não pode comandar e ele sempre está tão perto que pode ouvir a sua
voz. Quem sabe se na passagem da tempestade você não descobre uma
fé muito maior do que aquela que você podia antes imaginar?

ORAÇÃO:
   Pai Santo e Poderoso, o Senhor tem nos socorrido tantas vezes,
como é que ainda podemos duvidar? Ouça o pedido dos seus servos,
atenda ao seu clamor. E conceda a cada um a certeza de que Jesus
está pessoalmente tratando do seu sofrimento. Em nome de Jesus lhe
agradecemos e oramos. Amém.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Mateus 7:3-5


(Leia aqui)


PENSAMENTO:

   Jesus gostava de hipérbole, aquele exagero usado para dar
ênfase. Aqui o ponto é quase cômico. A figura do objeto no olho
deixa mais claro seu ponto em versículos 1-2. Para uma pessoa
enxergar um cisco no olho do outro ela deve estar extremamente
próxima e procurando alguma falha. Para que ela estaria chegando
tão perto e procurando erros? O que Jesus está condenando é o
espírito crítico, a atitude que só consegue enxergar falhas nos
outros ou que, vendo erros, logo julga a pessoa com severidade. É
uma verdade geral que a pessoa que habitualmente julga os outros
com todo rigor ainda não enxergou quão grande são suas próprias
falhas. Embora haja pessoas que excedem nisso, a maioria de nós
ainda “costumamos ver nossa própria injustiça com lente de redução,
enquanto a do outro com lente de aumento” como notou Fritz
Rienecker. A solução é olhar os outros com a misericórdia que
queremos que Deus use para conosco. Duas coisas que não devemos
julgar são os motivos dos outros (1 Cor 4:5), e questões de costume
e opinião pessoal (Rom 14:1-8). Quando houver erro vamos agir com
mansidão (Gl 6:1) e julgar com misericórdia (Col 3:13). E vamos
começar olhando primeiro para nós. Quando reparamos o quanto há
para mudar em nós mesmos, vamos estar bem mais aptos para ajudar
outros.

ORAÇÃO:

   Gracioso Pai, como eu preciso olhar mais de perto para meus
próprios erros. É tão fácil julgar os outros e esquecer dos meus
pecados. Na medida que eu vejo as falhas dos outros, que eu possa
enxergar o que eu espero que o Senhor veja quando olha para mim –
um filho amado. Conceda a todos nós um espírito quebrantado e
arrependido. Só o Senhor pode fazer isso. Em nome de Jesus oramos.
Amém.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Mateus 6:16-18


(Leia aqui)


PENSAMENTO

O jejum, a oração, e a ajuda a pessoas necessitadas são todos
serviços que devem ser prestados a Deus - para seu agrado, para seu
propósito e para sua honra. Mas, quando nós nos preocupamos como o
reconhecimento de homens pelo nosso serviço, quem recebe a atenção
e honra somos nós. O Serviço Secreto do governo dos EUA tem como um
dos seus principais objetivos a proteção do Presidente, seus
familiares e outros governantes importantes. O aspecto “secreto”
deste grupo não se refere a um trabalho oculto como espionagem,
porém, à discreção dos agentes ao desempenhar seu trabalho. Os
agentes desse serviço trabalham sem uniforme, em traje comum.
Grande parte do sucesso do trabalho deles depende justamente deles
não serem vistos. O Presidente pode aparecer, e muitos vão dar
atenção a ele. Mas, os homens que servem a ele não devem aparecer.
Ao contrário, devem ser invisíveis. Podemos olhar para nosso
serviço Cristão de forma parecida. Para que o Rei receba a atenção
e para que a glória seja dada a Deus, nós temos que fazer o nosso
serviço em secreto. Caso contrário, quem chama a atenção somos nós.
Quem recebe a glória somos nós. Então temos que decidir quem deve
receber a glória e de quem queremos receber nosso reconhecimento.
Como vai seu serviço secreto?

ORAÇÃO:

   Maravilhoso Deus, o Senhor merece toda honra e glória. Ajude-me
a mostrar que qualquer coisa que há de louvável em mim foi uma
dádiva do Senhor. Que Jesus receba todo o reconhecimento que Ele
merece por meio da minha vida. Em nome do Cristo eu oro. Amém.

terça-feira, 12 de junho de 2012

Mateus 6:14-15


(Leia aqui)


PENSAMENTO:

   O ponto de Jesus não é de que Deus nos perdoa em troca do nosso
perdão a outros. Nosso perdão vem somente pela graça de Deus
através do sacrifício de Jesus. Porém, esse perdão traz
consequências para nós. Só conseguimos perdoar quando nós nos
preocupamos mais com a pessoa do que com aquilo que ela fez. Se
Deus levasse em conta a soma de todos os nossos pecados, jamais
seríamos perdoados. Se Ele exigisse justiça pelo efeito dos nossos
pecados – a morte de seu filho Jesus - todos seriam condenados. O
que permite Deus perdoar o culpado de graves pecados, ou salvar um
homem nos últimos momentos da sua vida, como o ladrão na cruz, é
que ele não exige pagamento, nem impõe castigo pelo que fizemos.
Desde que estejamos arrependidos, reconhecendo nosso erro, Deus
está pronto para perdoar – de imediato e por completo. Por quê?
Porque o sentimento predominante em Deus para conosco é amor (Efe
4:32; Col 3:13). Quando nós conhecemos esse amor e ele começa a
crescer em nós, o perdão se torna cada vez mais natural. Perdoar
não é fácil. Perdoar dói na medida que fomos injustiçados ou
machucados. Perdoar é libertar a pessoa, soltá-la, livrá-la de ter
que pagar ou sofrer como nós sofremos. Ainda quando a pessoa
reconhece o erro e pede desculpas sinceramente, parece injusto.
Mas, alguém disse que quando perdoamos um outro, nós soltamos um
prisioneiro e só depois descobrimos que nós é que éramos o
prisioneiro. Você está pronto para ficar livre? Solte o outro, e
você também estará se libertando.

ORAÇÃO:

   Bendito Deus, não mereço tamanho perdão como o Senhor me deu em
Cristo Jesus. Mas, quero viver uma vida de gratidão, provando pelo
meu perdão aos outros o quanto sou grato ao Senhor. Em nome de
Jesus lhe agradeço. Amém.

terça-feira, 15 de maio de 2012

Mateus 5:20


(Leia aqui)





   Mais adiante Jesus dirá que seu jugo é suave e seu fardo leve
(Mt 11:30). Como é que ele pode exigir que a justiça do discípulo
seja superior à dos fariseus e depois dizer que seu fardo é leve? A
diferença está no objetivo do discípulo e do fariseu. O fariseu se
sentia na obrigação de obedecer não só o que Deus mandava, mas
todos os mandamentos e proibições, baseados nas interpretações
humanas que os líderes religiosos acrescentavam. Quando enxergamos
claramente o que Deus espera de nós e a força que Ele nos dá para
obedecer, a justiça que Ele espera está dentro do nosso alcance.
Ninguém consegue obedecer perfeitamente. Todos nós pecamos. Mas
qualquer um, auxiliado pelo Espírito Santo, impulsionado por
gratidão pelo sacrifício de Jesus, e seguindo o exemplo do Mestre
consegue superar a justiça dos fariseus. Os verdadeiros discípulos
de Jesus sabem que não há nada que eles podem fazer para alcançar
ou merecer sua entrada no Reino. Seu lugar é garantido não por
causa daquilo que eles fazem, mas, pelo que Jesus fez por eles.
Motivados e fortalecidos pelo poder do amor de Jesus, Deus
realmente faz através de nós e dentro de nós coisas que homem
nenhum sozinho conseguiria. Porém, com Jesus operando em nós e
lembrando tudo que Ele já fez por amor a nós, marchamos rumo ao
nosso lugar no Reino dos céus. E quem garante aquele lugar é o
próprio Jesus.

ORAÇÃO:
   Pai, eu sei que sempre vou cair e falhar. Sei que nunca
conseguirei obedecer tudo que o Senhor espera de mim. Mas, com a
força que Jesus me dá e a graça que já recebi, pretendo fazer o
melhor que eu posso. Sei que isso será o bastante para meu Pai.
Obrigado Deus. Em nome de Jesus eu oro. Amém.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Mateus 5:19


(Leia aqui)


   Esta passagem tem sido chamada a “hermenêutica do discípulo”.
Jesus começou declarando sua postura em relação à Palavra de Deus.
Agora ele revela a atitude que espera dos seus seguidores. Jesus
tinha uma atitude de reverência e plena submissão às Escrituras.
Ele espera o mesmo dos seus discípulos. Ele lembra que não é só o
que ensinamos, mas, o que fazemos que faz a diferença. Também Jesus
nos lembra que estamos sempre influenciando outras pessoas.
Querendo ou não, outras pessoas estão aprendendo, não só daquilo
que falamos, mas daquilo que fazemos. Se formos fiéis nas coisas
“pequenas”, as coisas fáceis de ignorar como a ética, a integridade
e a honestidade, estaremos ensinando como também sermos fiéis nas
coisas grandes como a fé em Deus. Alguém observou – você é o único
Jesus que muitas pessoas vão ver. Você não é perfeito e ninguém
espera isso. Mas faça todo esforço para que o Jesus que outros
vejam em você seja íntegro e verdadeiro, o mais próximo a Jesus que
você consegue chegar. É só isso que Jesus espera. É só isso que
aqueles ao seu redor precisam. O próprio Jesus fará o resto.

ORAÇÃO:


   Pai, eu quero ser fiel não só naquilo que ensino, mas na minha
vida também. Eu peço a ajuda do Senhor para me aproximar cada vez
mais a Jesus, para que aqueles que se aproximem de mim, cheguem
cada vez mais pertos dEle. Em nome de Jesus eu oro, amém.
 

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Mateus 5:6


(Leia aqui)


PENSAMENTO:

   Nosso senso de justiça muitas vezes é bastante seletivo. Se eu
quebrar algo foi um acidente. Se o vizinho quebrar foi uma
irresponsabilidade. O que é certo, justo ou correto é muitas vezes
aplicado com todo rigor ao outro. Mas, esperamos bastante clemência
para conosco quando erramos. Será que o que estamos querendo é
realmente justiça? Os discípulos do Reino não serão satisfeitos por
causa da sua justiça, mas porque anseiam justiça, o que é certo, o
que é correto, antes em suas próprias vidas do que nas vidas dos
outros. Se eles têm fome e sede de justiça é porque reconhecem quão
longe estão dela. Lembramos o publicano que, de longe, rogava
clemência a Deus (Lc 18:9-14). Ele sabia o que era justiça e sentia
profundamente a falta dela em sua vida. O outro, fariseu,
provavelmente era mesmo bem mais correto e justo. Mas ele não
sentia a falta de justiça em sua vida. Ele voltou para casa mais
pobre, apenas com a justiça dos homens. O publicano, grande pecador
como eu, sem perceber, teve sua sede de justiça satisfeita – não
por ele mesmo, mas por Deus. Tomara que a justiça em sua vida seja
esta, hoje e para sempre.

ORAÇÃO:


   Pai, eu só posso agradecer sua misericórdia e perdão. Tantas
vezes eu quis vingança, confundindo com justiça, e tantas vezes
precisei de perdão, quando pensei que estava certo. Obrigado por
não me tratar como mereço. Ajude-me a ser o mesmo para com todos.
Eles também carecem da sua justiça. Em nome de Jesus, o único Justo
entre nós. Amém.
 

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Mateus 5:4


(Leia aqui)



PENSAMENTO:

   Há muitos motivos para chorar – uma injustiça que sofremos, uma
enfermidade que nos acomete, a perda de um amado, as conseqüências
do pecado em nossas vidas. A lista parece infinita. E há diferentes
tipos de choro. Há o choro do sofrimento injusto e da frustração
causada pelo nosso orgulho. Há o choro da dor física da doença e da
amargura com a vida. Ou seja, há choro que merece consolo e há
choro que não merece. O discípulo de Jesus, como qualquer outro ser
humano, terá motivos para chorar. Ele passará por sofrimento e
perda, injustiça e enfermidade. Mas o choro dele terá o consolo de
Deus. Um dos maiores consolos do sofrimento é saber que aquilo que
sofremos tem propósito. Segundo o apóstolo Paulo, temos um Deus
"que nos consola em todas as nossas tribulações, para que, com a
consolação que recebemos de Deus, possamos consolar os que estão
passando por tribulações." 2 Cor. 1:4. Se aquilo que sofremos é por
causa de Deus, ou porque estamos seguindo o plano de Deus para as
nossas vidas, então todo nosso choro um dia será consolado e tudo
que sofremos aqui tem um propósito eterno. Quem sabe quantas
lágrimas que descem pelos nossos rostos estarão nos preparando para
consolar outros um dia, pela graça de Deus? Tem alguém perto de
você precisando de consolo?

ORAÇÃO:


   Pai eterno, nada se compara aos planos magníficos do Senhor! Até
no sofrimento o Senhor prepara bênçãos para nós. Obrigado pelo
significado eterno que o Senhor tem dado a minha vida e o pouco
sofrimento que tenho passado aqui. Obrigado por Jesus, aquele que
nos mostrou quão grande é o significado do maior sofrimento que um
homem pode passar. Em nome de Jesus oramos. Amém.

terça-feira, 1 de maio de 2012

Mateus 5:1-3


(Leia aqui)

PENSAMENTO:


   As primeiras palavras do grande “sermão” de Jesus são de bênção.
Não são exigências ou cobranças, nem mandamentos a serem
obedecidos. São promessas de um Deus que nos ama e que olha para o
meio do nosso vazio e sofrimento e anuncia “Há algo reservado para
você, e é bênção sem medida”. Os abençoados por Deus, aqueles que
encontraram Jesus e descobriram nele tudo que precisam, não
conquistam o mundo. Eles não ganham nada pela sua força ou pela sua
espiritualidade, nem pelo seu entendimento de profundidades
teológicas. Eles recebem, eles herdam o Reino dos céus. E Deus lhes
dá porque eles sabem chegar a Deus de mãos abertas, porque sabem
que não têm nada para oferecer em troca. O filho pródigo (Lucas
15:17-19) e o publicano que foi orar (Lucas 18:10-13) foram dois
“pobres em espírito” que souberam pedir. Eles descobriram que pelas
suas forças não conseguiam conquistar mais nada. Certamente,
agradeceram a Deus por esta descoberta dolorosa. Talvez o mais
famoso “pobre em espírito” da história fez um pedido extraordinário
a Deus e foi atendido na hora (Lucas 23:39-42). Sem nada nas mãos,
porque não podia segurar mais nada, o ladrão na cruz recebeu de
Deus – simplesmente tudo. Tudo. Será que estamos prontos para abrir
nossas mãos e pedir a Deus também? Se aprendermos essa lição então
realmente somos bem-aventurados.

ORAÇÃO:


   Pai, eu sei que preciso voltar a ser como uma criança. Eu tenho
que lembrar o quanto dependo do Senhor. Eu esqueço tão facilmente.
Obrigado por me lembrar e obrigado por todas as vezes que o Senhor
abriu as minhas mãos e tirou o que eu estava segurando, ainda que
tenha sido necessário o Senhor forçá-las. O Senhor o fez para meu
bem. E, obrigado por Jesus – a maior de todas as bênçãos dos
bem-aventurados. Em nome de Jesus oramos. Amém.
 

segunda-feira, 30 de abril de 2012


(Leia aqui)


PENSAMENTO:

   Jesus chamou os primeiros discípulos, não para uma escola ou
seminário. Ele os chamou para uma caminhada. "Sigam-me..." ele
disse. Há muitas coisas que podemos e devemos aprender sobre Jesus.
A leitura e o estudo da Bíblia fazem parte do processo de conhecer
o Mestre. No entanto, numa época em que o adquirir e o digerir
informação se tornou o principal foco do homem, há uma grande
tentação de pensar que o importante é o que você sabe sobre Jesus
ou a Bíblia ou qualquer outro assunto "espiritual". É preciso
lembrar que as primeiras e últimas palavras do ministério de Jesus
levam à ação. "Sigam-me..." ele começa e "Vão..." ele termina. O
que é que você está fazendo com aquilo que você já sabe sobre
Jesus? Que diferença esta informação está fazendo na sua vida e na
vida daqueles ao seu redor? Que impacto você está tendo em pessoas
necessitadas, carentes, sofrendo e perdidas? Para seguir Jesus os
discípulos tinham que descer de um barco de pesca para subir em
outro que virou plataforma para pregar. Era preciso se levantar da
coletoria de impostos para sentar numa mesa para escrever um
Evangelho. Eles tiveram que deixar suas famílias para ensinar,
batizar e juntar a família de Deus. Para seguir Jesus é preciso
conhecer algumas verdades. Porém, se esse conhecer não resultar em
levantar, mover, agir, buscar, falar e muito mais, então você só
aprendeu verdades, mas não conheceu A Verdade. "Sigam-me..." ele
disse. Vamos.

ORAÇÃO:


   Amoroso Pai, ajude-nos a ouvir Jesus ainda nos chamando hoje.
Que possamos vê-lo caminhando à nossa frente, nos mostrando os
necessitados, os carentes, os marginalizados, os perdidos em todos
os grupos. Que possamos sentir dentro de nós a mesma compaixão e
tomar as mesmas atitudes que Jesus tomaria para com estas pessoas.
Que a nossa fé possa resultar numa caminhada com Jesus a cada dia.
E que Ele possa se sentir bem caminhando conosco. Em nome de Jesus
pedimos. Amém.
 

sábado, 21 de abril de 2012

Mateus 3:16-17


(Leia aqui)

PENSAMENTO:

 Uma das coisas mais tocantes nesta passagem é o que Deus falou
sobre seu filho. Dá para perceber que ele era imensamente feliz com
seu filho e ele queria que todo mundo presente soubesse. Nenhum
mandamento foi dado, nenhuma ordenança decretada ou profecia
proferida. Apenas uma declaração de amor paternal “Este é o meu
Filho amado, em quem me agrado.” Deus estava demonstrando sua
felicidade com Jesus. E podemos entender que estas palavras foram
faladas não só pelo benefício daqueles presentes, mas, para o
próprio Jesus ouvir. E será que é demais imaginar que Deus queria
que Jesus ouvisse aquelas palavras na presença de outros, que seu
Pai, lá do céu estava confirmando sua filiação diante dos homens?
Para onde será que os passos de Jesus o levariam em seguida? Para o
deserto para ser tentado. Deus fortalece e encoraja seu filho para
a provação que virá. Esta força e encorajamento vêm na forma de uma
simples declaração: “Eu lhe amo e tenho grande prazer em você.” Nós
precisamos tanto do encorajamento de Deus hoje. Já está conosco,
mas, precisamos ser lembrados cada vez mais. Talvez foi isso que
Davi quis lembrar quando ele escreveu Salmo 18:16-19. Há pessoas
que precisam desesperadamente ser lembradas do grande amor que este
mesmo Pai tem para com elas. Será que tem uma delas perto de você,
precisando ser lembrada do grande amor do Pai?

ORAÇÃO:

 Obrigado Deus, por nos lembrar que o Senhor é também o Pai de
Jesus. Obrigado por nos lembrar o carinho que tem para com todos os
seus filhos. Use-nos para levar este mesmo amor para aqueles que se
sentem tão longe do Senhor, apesar do Senhor estar tão perto. Que
eles possam ouvir mais uma vez a voz de seu Pai celestial. Em nome
de Jesus nós oramos. Amém.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Mateus 3:13-15b


(Leia aqui)






PENSAMENTO:

“...convém que assim façamos, para cumprir toda a justiça” Jesus
disse. Nosso Senhor não precisava do batismo. Mas, ele insistiu em
fazer. Por quê? Há um ditado do Talmude (uma espécie de comentário
judaico sobre o Antigo Testamento) que diz, “Maior é aquele que faz
algo porque ele é mandado do que aquele que faz algo sem ser
mandado.” A lógica moderna diria o contrário. Somos tão acostumados
a darmos prioridade ao livre arbítrio, às preferências pessoais,
enfim, a todos os propósitos egoístas de hoje, que fica difícil
compreender a nobreza de atos feitos em pura submissão. No entanto,
cumprindo tudo que é certo, tudo que é justo, mesmo quando não é
seu dever, coloca-lhe num plano em que Deus pode usar sua vida
poderosamente. Jesus vivia assim. Será que podemos viver assim
também? Se você ainda não vê, ou não consegue imaginar, ore a Deus
para que ele lhe mostre como ele pode lhe usar quando você
subordinar a sua vontade à vontade dEle. Ore para ver isso mesmo em
situações em que você não tem obrigação. Faça isso, não por
constrangimento, mas, simplesmente porque você confia em seu Pai.
Veja o que vai acontecer.


ORAÇÃO:

Amoroso Pai, que possamos descobrir cada vez mais o que é
realmente confiar no Senhor. Que possamos progredir no caminho da
fé ao ponto de agirmos não só por obrigação, mas também pelo puro
prazer de deixar o Senhor alcançar seus propósitos através de nós.
Que as nossas vidas possam honrar o nome de Cristão. É no nome de
Jesus que oramos. Amém.

quarta-feira, 18 de abril de 2012

I Pedro 1:25


(Leia aqui)


Quando Pedro escreveu sua primeira epístola, por volta de 60 d.C, ele procurava encorajar os cristão que sofriam perseguições por causa de sua fé. Este período trabalhoso para a Igreja de Jesus era apenas uma pequena amostra de severas perseguições que surgiriam nas décadas seguintes, mas que não foram capazes de impedir o avanço do evangelho de Nosso Senhor.


Muito embora alguns cristãos tenham desejo por sombra e água fresca, a verdade é que o cristianismo é uma proposta de vida que exige disciplina e empenho. É impossível ser um cristão dedicado ao reino dos céus sem se colidir com a filosofia que rege este nosso mundo. Entretanto, para aqueles que sofrem por causa do nome de Jesus, há promessas feitas pelo próprio Salvador (Mt 5.10,11). Quando o sofrimento chegar, apegue-se com mais firmeza as palavras do Salvador!

terça-feira, 17 de abril de 2012

Marcos 10:52


(Leia aqui)

Pensamento

Passamos duas semanas refletindo neste texto bíblico sobre o cego de Jericó. E hoje, quero fechar esta série de reflexões com o propósito maior por trás desta história. Jesus tem nos curado dos males do pecado para sermos seus seguidores. Está escrito que após ser curado por Jesus, o cego passou a seguir o Salvador. Ficar a beira do caminho não lhe servia mais, muito menos mendigar. Com Cristo, seus horizontes foram ampliados e ele começou uma jornada ao lado daquele que o curou.


Quando experimentamos a graça de Jesus Cristo, somos convidados a seguir seus passos. Este homem começou sua história de redenção como cego, e terminou como discípulo. O propósito de Deus é mudar a condição do homem. Você pode ser hoje uma pessoa escravizada pelo pecado, mas pode terminar seus dias como um filho de Deus, se receber a Jesus como Salvador.


Qual sua decisão diante de tão grande oportunidade? Continuar vivendo em trevas espirituais ou enxergar a luz de Cristo resplandecendo sobre você?

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Mateus 28:16-18


(Leia aqui)

PENSAMENTO:

Apesar de todo seu poder e glória, Jesus sempre foi submisso ao
Pai. Ele, que para realizar a vontade do Pai se submeteu a
autoridades corruptas, agora tem autoridade sobre tudo e todos.
Pode não parecer, mas não há lugar em toda a criação onde Jesus não
reine. E não há outro mediador entre nós e Deus, tanto no céu como
na terra, senão Jesus. Isso é segurança para nós que o temos como
Senhor e Salvador.

ORAÇÃO:

Pai, eu lhe agradeço pela confiança de saber que tudo que
acontece aqui está sujeito à sua autoridade exercida por meio de
Jesus. É também um conforto para mim saber que aquele que reina
sobre mim também entende todas as minhas fraquezas e todas as
tentações que eu enfrento. Eu lhe louvo e lhe agradeço pelo seu
plano perfeito realizado por meio de Jesus. Em nome do Cristo eu
agradeço, amém.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Mateus 28:10b


(Leia aqui)

PENSAMENTO:

A primeira ordem de Jesus para os primeiros discípulos que ele
encontra após o maior evento da história da humanidade é simples:
"vão dizer". Há muitas coisas boas que um Cristão pode fazer, mas,
uma coisa é absolutamente necessária, que ele vá e fale para outros
de Jesus. Aqueles a quem Jesus envia as irmãs ele chama de
"irmãos". Não são apenas discípulos - são irmãos. Apesar da negação
e da fuga, Jesus quer que eles saibam que fazem parte da família
dele e que ele não esqueceu disso. O que é que Jesus espera deles?
Que se dirijam ao lugar onde vão poder encontrá-lo. Só mais um
detalhe - Jesus vai adiante. Quando chegarem lá, ele já estará. "Lá
eles me verão". Às vezes é difícil ver na hora, mas, Jesus vai
adiante de nós. Tantas vezes, em tantos momentos da vida, as
pessoas que encontramos, as situações que passamos revelam o toque
do Senhor antecipando nossas fraquezas ou nossas necessidades.
Jesus lhe ama tanto. Ele quer ter um encontro com você. É preciso
buscar esse lugar. Pode ser um canto da sala, um quarto fechado ou
um banco numa praça pública. Mas, é o lugar onde você terá seu
encontro com Jesus. É bom que seja diariamente. O ideal é que você
permaneça na presença dele. Mas, se você nunca teve esse encontro,
ou se faz tempo desde sua última vez na presença dele, peça a Jesus
uma oportunidade para conhecê-lo melhor. Ele está pronto. É só você
pedir. O momento e a hora ele mostrará. Lá você o verá.

ORAÇÃO:

Santo e eterno Pai, como é que um Deus pode ser tão grande e
poderoso, e ao mesmo tempo se preocupar com seres tão pecaminosos
quanto nós? Não faz sentido. Não nos faz sentido que Jesus não só
perdoou os discípulos, mas, os chamou de irmãos. Irmãos de Jesus,
que honra! Que todos que leiam essa meditação e que todos com quem
nós tenhamos contato possam saber que nosso Deus está à procura de
seus filhos perdidos e que qualquer um que tenha fé nas promessas
de Jesus pode ser um dos tais. Obrigado Pai. Em nome de Jesus
oramos e agradecemos. Amém.

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Lucas 18:41


(Leia aqui)

A vida é uma jornada escrita por Deus para cada um de nós. E nas páginas desta história, o Senhor nos presenteia com inúmeras oportunidades; são ocasiões em que Ele nos deixa partilhar de seus propósitos eternos, construindo com isso memoriais que nos lembrarão de Sua graça e fidelidade.

Você se lembra de alguma destas oportunidades que marcaram definitivamente sua jornada? Seja rever alguém querido, amar e se declarar, fazer uma viagem, saciar um faminto ou até mesmo a chance de perdoar e ser perdoado. Diariamente, Deus nos dá oportunidades de trazermos sentido a vida. Precisamos abraçá-las, pois a maior parte delas não voltarão para nós. O cego teve a oportunidade de estar no caminho por onde Jesus passaria. E isso mudou radicalmente sua história.

Quantas oportunidades você tem perdido por não estar atento ao que o Senhor quer fazer em sua vida?

quarta-feira, 21 de março de 2012

Êxodo 8:1-19


 (Leia aqui)



Ao comando do Senhor, Arão estendeu sua vara e rãs saíram do rio e invadiram a terra. Moisés desistira de discutir as ordens de Deus. Ele agora tem plena confiança nAquele que o havia enviado, a ponto de encarar Faraó face a face e dizer: "Quando orarei por ti"? (v. 9).

"Acrescenta-nos a fé", os discípulos pediram ao Senhor (Lucas 17:5). Essa deve ser nossa oração.

Depois das rãs, o Egito foi afligido com piolhos. Os mágicos, que por duas vezes imitaram Arão, desta vez se frustraram. A loucura deles tornou-se manifesta. 2 Timóteo 3:8 nos revela seus nomes: James e Jambres. Eles simbolizam os cristãos nominais, que têm forma exterior de piedade, mas sem a fé genuína. Para ser um cristão, não basta imitar os verdadeiros filhos de Deus. Uma pessoa assim pode ir às reuniões, ler a Bíblia, fazer boas obras… e não ser um cristão de fato. Nada é mais fácil que fingir pertencer ao Senhor, enganando os outros e até mesmo a nós. Querido leitor, você possui uma fé verdadeira ou apenas algo que se parece com ela? Seu destino eterno depende da resposta a esta pergunta!

Êxodo 8:20-32


(Leia aqui)



A quarta praga foram as moscas. Enxames penetraram nas casas e arruinaram o Egito, com exceção da terra de Gósen. Na esfera moral, essas moscas nos fazem pensar na maledicência, nos ciúmes e em toda a sorte de irritações que penetram na família e nas relações sociais das gentes do mundo, mas que não acham lugar na casa dos filhos de Deus.

O Faraó está agora pronto a fazer certas concessões: "Ide e sacrificai ao vosso Deus nesta terra" (v. 25). Mas isso era impossível. O Senhor havia ordenado uma caminhada de três dias no deserto (3:18). Três dias: o tempo que Jesus permaneceu no túmulo, entre Sua morte na cruz e a manhã de Sua ressurreição. Agora o Inimigo quer arrancar de nós as verdades que nos fazem lembrar sua derrota. Por outro lado, a adoração sem a lembrança da cruz e da ressurreição não lhe causa preocupação. O mundo admira a vida de Jesus e honra as pessoas boas. Ele tem a sua própria religião e aceitará tolerantemente que tenhamos a nossa também. Mas a cruz e a presença de um Cristo vivo no céu, que são as bases de nossa adoração, condenam o mundo e dele nos separam definitivamente (Gálatas 6:14).

Êxodo 9:1-16


(Leia aqui)



Uma horrível praga (peste) agora afeta os rebanhos. Deus poupa os rebanhos de Israel, necessários para a Páscoa e, mais tarde, para outros sacrifícios. Depois úlceras arrebentam nos homens e nos animais. O coração do rei permaneceu duro apesar de — note a expressão — ser sobre o coração dele que o Senhor estava enviando todas aquelas pragas (v. 14). Como explicar a fúria do Faraó contra Israel? Satanás sabia que desse povo um dia deveria nascer o Messias, que, maior que Moisés, viria para libertar a humanidade de seu jugo e esmagar sua cabeça (Gênesis 3:15). Então ele mantém Israel em escravidão o máximo possível. Mas essa obstinação só serviu para evidenciar o poder de Deus e para anunciar o Seu nome em toda a terra (v. 16, citado em Romanos 9:17).

Mesmo face a face com o poder de Deus e também com Sua misericórdia, que retirou sucessivamente as rãs, os piolhos, as moscas… o orgulhoso Faraó endureceu seu coração deliberadamente e não quis arrepender-se. Quantas pessoas endurecem seu coração na presença do maior de todos os milagres da graça: o Filho de Deus morrendo pela salvação dos perdidos!